Em assembleia cerca de 15 mil trabalhadores da educação decidem manter a greve

Cerca de 15 mil trabalhadores em Educação participaram da assembleia estadual da categoria, realizada hoje, 9, na Passarela do Samba Nêgo Quirido, em Florianópolis. Por unanimidade, os trabalhadores do magistério rejeitaram a proposta apresentada pelo Governo na última 4ª feira e decidiram pela continuidade da greve.

O resultado ratificou o encaminhamento das assembleias regionais, realizadas na 3ª feira, 7, de manutenção da paralisação na defesa da implantação do Piso na carreira e a garantia de direitos historicamente conquistados.

A assembleia estadual aprovou, também de forma unânime, uma nova proposta para ser analisada pelo Governo, propondo a implantação do Piso na carreira de forma parcelada (de abril a dezembro de 2011)com percentuais que variam de 4,9% em abril até 8,48% em dezembro.

A categoria exige ainda a manutenção da tabela salarial (2.75% nas referências e 8,48% nos níveis, em dezembro de 2011. Os valores nas tabelas é de apenas vencimento, sem qualqur gratificação, e os valores do prêmio educar, prêmio jubilar e prêmio assiduidade estão incorporados nos da tabela salarial.

Os trabalhadores da Educaçao reivindicam a manutenção de todas as gratificações do plano de carreira do magistério.

O ofício com a proposta do SINTE/SC foi protocolado hoje à tarde na SED e recebida pelo secretário-adjunto Eduardo Deschamps. Deschamps informou que até a próxima terça-feira, 14, receberá novamente o Comando Estadual de Greve para informar a posição do Governo sobre a proposta apresentda pelo magistério.

A assembleia estadual , mais uma vez, parou a cidade de Florianópolis numa grande caminhada pelas ruas centrais da capital catarinense até o Terminal Central de Ônibus, onde, ao som do Hino Nacional, foi encerrado o ato dos professores da rede pública estadual.

Além da população, prestaram apoio à greve do SINTE/SC os deputados Luciene Carminatti, Angela Albino, Pedro Uczai, Dirceu Dresh, Padre Pedro, Neodir Saretta, Sargento Soares, e os vereadores Márcio de Souza e Ricardo Vieira, o presidente estadual da CUT, Neudi Giachini e lideranças do Sintaema/SC.

 Foto e texto: Sinte SC

Um comentário:

Valdecy Alves disse...

Veja e entenda qual o valor verdadeiro do piso para jornada de 40 horas, nível médio, de acordo com a lei do piso, para o ano de 2011: http://www.youtube.com/watch?v=zzjSvW5Mcm0

Postar um comentário