Greve dos professores na Paraíba

Tenho acompanhado, ainda que de longe a greve dos professores na Paraíba, achei importante postar algo aqui no blog para informar a sociedade que não é somente Santa Catarina que sofre com o descaso do governo.

Cerca de 450 mil alunos devem continuar sem aula nesta terça-feira (31). Os professores da rede estadual de ensino, na Paraíba, decidiram continuar o movimento grevista após assembleia e reuniões realizadas ontem. A segunda-feira foi marcada por mobilizações da categoria, que invadiu o Palácio do Governo, em João Pessoa, e depois ocupou os corredores da Assembleia Legislativa. A reivindicação principal é o pagamento do piso nacional de professor e a retirada do corte de ponto.

Na assembleia realizada no início da manhã, os professores decidiram manter a greve por tempo indeterminado. A rede estadual está sem aulas desde o dia 2 de maio. Após a assembleia, a categoria saiu em passeata para o Palácio do Governo, que foi tomado pelos manifestantes. Representantes do Sintep-PB (Sindicato dos Trabalhadores da Educação da Paraíba) se reuniram com o secretário-chefe do governo, Walter Aguiar, mas não houve avanços.

À tarde, uma nova reunião foi realizada. Dessa vez na Assembleia Legislativa, mas as partes não cederam. Segundo o secretário-chefe, o governo só vai negociar quando os professores retornarem ao trabalho. Já os professores se recusam a voltar às salas de aula enquanto o governo não garantir algumas condições. Uma nova proposta foi entregue ao secretário, que prometeu analisar, mas não adiantou decisão.

Os professores reclamam ainda do corte de ponto feito pelo governo. Alguns profissionais tiveram descontos de até R$900 nos salários e ficaram desesperados. Professores com licença-médica também foram inclusos na lista de corte, segundo o sindicato. O secretário disse que o governo vai continuar descontando dos faltosos. Na versão do Sintep, a adesão à greve ultrapassa 90% em todo o Estado; o Governo diz que apenas 15% da categoria apoia o movimento.

Fonte: UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário