Hoje a liberdade existe? Vale a reposta!

"Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta
que não há ninguém que explique e ninguém que não entenda"
(Cecília Meireles)


Eu começo esse texto com a citação poética, não porque me faltam argumentos para me posicionar quanto ao conceito de liberdade, é que às vezes as convicções me cansam. Como disse Friedrich Nietzsche "as convicções são inimigas mais perigosas da verdade do que as mentiras".

Porque digo isso, é que ontem houve uma discussão acalorada em minha aula de Ética sobre a questão da liberdade, na verdade tratávamos sobre a felicidade e o professor nos questionou se éramos livres, respondi que não. O homem ficou atônito.

Realmente desconheço todos os conceitos de liberdade dentro da filosofia, talvez não tenha competência de discorrer sobre um só deles, no entanto, a pergunta que me foi feita foi direta, não me remeteu a um tipo de liberdade em específico, não disse o que era o conceito de liberdade, dos antigos ou da modernidade.

Não sei o que todos os homens entendem por liberdade, mas eu acredito que ela não pode se esvaziar no discurso, mesmo acreditanoo justamente que, atualmente é o discurso a principal ameaça a liberdade.

Se liberdade é poder falar essa existiu sempre. Até mesmo o mais atormentado dos escravos podia falar uma verdade proibida mesmo sendo depois morto por esse motivo. Isso é liberdade? Ele foi livre ao falar e logo em seguida sucumbiu por causa disso?

A liberdade como conceito desconsidera o outro, mas na prática ela vai sempre depender do outro, se levarmos em conta que aquele busca a sua liberdade necessita do engajamento nas escolhas dos outros é forçado além de desejar a sua liberdade, também a liberdade dos outros. Realmente esse não é meu discurso, está impregnado pelo pensamento de Sartre.

Mas como Sócrates fazia, gostaria eu também de tentar fazer, questiono a vocês meus caros leitores, atualmente a Liberdade existe? de que forma?

Comentem!



9 comentários:

Anônimo disse...

Quando o ser humano derrubar qualquer barreira que possa limitar a assim chamada liberdade, ainda será escravo da sua própria vontade.




Ruan C. Marques

Marcio André disse...

É a situação ficou bem confusa mesmo, pois acredito fielmente que temos uma liberdade para falar o que nos vem na telha, entretanto quem fala o que quer ouve o que não deseja ouvir, e a liberdade de expressão é uma coisa muito importante e séria, mas que somos livres, isso é uma PUTA sacanagem vou listar algumas obrigatoriedades, voto obrigatório, pode não votar, mas vai pagar uma multa por isso, serviço militar obrigatório, vai até preso se não se apresentar, e acho mais sacanagem ainda as pessoas que dão corda para os outros se enforcarem falando que tem liberdade de fazer o que tiver vontade, vai um gay beijar outro em publico para ver o que acontece. As pessoas estão sempre julgando às outras ou pelos seus atos ou pelas suas opções. E a liberdade é uma coisa tão complicada e delicada que em determinado ambientes não podemos falar o que pensamos, pois para os que não sabem existe sim morte em vida. E é bem simples explicar como que funciona isso, você demonstra os teus ideais com toda a “liberdade” e logo depois é podado de tudo e não às claras, mas sim com uma sutileza de demônio astuto, que simplesmente não consegue se quer trabalha de lixeiro. então acho melhor é dançar conforme a musica toca, por que aliança de idealismos é coisa do passado morreu nas lutas na ditadura. E infelizmente para que isso venha a acontecer acredito infelizmente que precisaríamos de uma guerra mundial, para recomeçar tudo de novo.

Manah disse...

oi célio, confesso que fiquei muito curiosa com o nome do seu blog. como assim "historiofobia"? rsrs...mas, parece que nao tem nada a ver com aversão a história... que bom! rsrs...

tou te seguindo.
abraço :)

Célio Roberto Pereira disse...

É isso mesmo Márcio, a violência que vem do discurso é muito mais perigosa do que qualquer outra que ameaça a liberdade, porque como você falou ela é sutil, discreta, só podemos percebe-la quando tomamos conhecimento de múltiplas realidades, quem nunca sofreu uma repressão direta jamais vai conseguir compreeder o que digo aqui.

Valeu pelos comentários pessoal.

Pati Grottone disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pati Grottone disse...

Olá, Célio!!!

Primeiramente, obrigada por seguir meu blog. Fiquei muito lisonjeada com o elogio! ;)

Agora quanto ao post acima. Assunto complexo que envolve muitas vertentes, como vc mesmo disse. Com relação à liberdade de ações, eu diria que temos a liberdade comedida, aquela que termina onde começa a do próximo. Logo, não somos livres se pensarmos em liberdade no seu valor utópico.

Aqueles que buscam ser livres em sua totalidade acabam por lidar com um mundo totalmente alheio à realidade da maioria. Dessa forma, se encontram num lugar que pode tanto beirar o sublime quanto o perverso.

Adoro questões filosóficoas. Se falei asneiras, me desculpe. Mas a liberdade de expressão eu pratico de forma integral! rsrs

Um abraço!

Célio Roberto Pereira disse...

Não falou asneiras não Pati, adorei você ter visitado meu blog e que bom que você gosta de filosofia, sempre que sentir vontade visite-nos, comente, participe!

cassio disse...

Parece que questões sobre liberdade incomodam as pessoas de modo geral, então me pergunto se isso é porque nos acostumamos com os manuais que privam nossa liberdade desde a infancia ou porque nem entendemos direito o que acreditamos ser liberdade, acredito que a liberdade começa na medida q nos incomodamos com o banal, com as palavras q são ditas seja por quem forem ditas, no discursso vejo pregarem uma pseuda liberdade que talvez nem a própria consciencia do individuo acredite e sendo assim os conceitos se esvaziam na pretensa palavra liberdade, axo q vc entendeu né!!rsrs

Célio Roberto Pereira disse...

O homem na busca pelo que ele acredita ser liberdade pode ser surrado, humilhado e encarcerado para todo o sempre e mesmo assim ele pode continuar lutando, porque a liberdade não é estática, conceitual, aquele que acredita ser livre é um pobre espírito nessa terra, pois já foi vencido por si mesmo, encarcerado no seu próprio ego e ludibriado pelo discurso alheio. liberdade acredito eu, é uma coisa muito maior que o indivíduo, não cabe em nós, não podemos carrega-la sozinhos, por isso não posso ser livre se meus irmãos também não são.
A liberdade é bonita nas palavras, mas ela é mais bela e ao mesmo tempo aterrorizante nas ações, pois no papel e na boca alheia ela não tem limite, na vida ela é limitada e só ganha sentido quando conseguimos alargar esse limite para além do nosso mundinho.

ps:entendi!

Postar um comentário