Professor não deve ter vida social!


Alguns dias atrás ouvi de uma profissional da educação que professor não deve ter orkut, muito menos msn, disse ela que ouviu isso em uma palestra de um grande sociólogo, o qual não soube me dizer o nome. Demorei uns dias pra escrever esse post porque estava pesquisando na Internet para ver se eu achava o tal sociólogo e sua interessante tese, pois bem, não achei, então resolvi escrever assim mesmo.

Quando Hannah Arendt falava da crise da educação e da dissolução das tradições, isso nos meados do século XX, tenho certeza que ela não se referia a inclusão ou não dos professores nas hoje chamadas redes sociais.

O professor do ponto de vista técnico é um profissional como qualquer outro, no entanto, a sociedade nunca viu o professor só pelo ponto de vista técnico, nem ele mesmo se vê assim, gosta de ler Rubem Alves e se auto denomina Educador. Como diz o mestre anteriormente citado, ser professor não é a mesma coisa que ser educador, mas, não importa qual é a sua postura diante da sala de aula, educador ou professor, a sociedade vai lhe cobrar da mesma maneira.

Há milhões de tabus sendo quebrados atualmente mas aquele no qual as pessoas admitem que o professor tem um vida livre fora da sala de aula parece estar longe de ser quebrado, ser professor atualmente é ser submisso às tradições que lá na década de 50 Hannah Arendt já dizia estarem em colapso, a noção de tempo se acelerou, as coisas mudam rapidamente, e uma escola que pretende ser libertária, deve aprender a lidar com as mudanças, dogmas são para religiões não para escolas, se não pode cercear a liberdade do aluno o que dizermos da liberdade do professor, parece que alguns profissionais da educação já esqueceram como era ser professor, digo melhor, professora nos anos 20 e 30, lá se tinha que respeitar as tradições, tudo em nome das tradições, inclusive a liberdade da mulher.

Esses anos já se foram e as tradições daquela época também, as mulheres ocuparam o espaço em alguns (nem todos) direitos que lhes é de garantia, mas ainda ouço uma meia duzia falar mal da professora que sai sozinha, que vai nas baladas, ah! Também falam mal dos professores que tem orkut e msn, chega ser até hilário as pessoas encararem as novas tecnologias como obras do Satã e não como uma oportunidade de aproximação com a realidade dos alunos, milhares de professores estão nas redes sociais e fazem delas novos instrumentos de integração, esses conseguiram se desprender do arcaísmo na escola brasileira.

Sempre que ouvir comentários do gênero que motivou esse post vou escrever, porque a humanidade se desenvolve cultiural e tecnologicamente e não sou eu que vou defender a caverna!

2 comentários:

Anônimo disse...

Concordo plenamente com você, e creio ainda que seja um exemplo para os outros professores

Marcelino disse...

Nossa q aberração, onde está a inclusão? certamente vivem como disse nas cavernas ou junto com os dinossauos. Coitada dela certamente é uma analfabeta em relação as novas tecnologias, e prefere ficar na mesmisse do q se atualizar, não tem como não ter orkut e msn pois faz parte do dia a dia dos alunos eprofissinais da educaçao. Ficar fora dessa ficar amargem da transfomaçao tecnológica do mundo...

Postar um comentário