Entrevista - Lado B


Diante da crise que se abateu em todo mundo a agravou ainda mais a situação da mídia escrita, o que pode manter este veículo de comunicação?

A resposta é simples: responsabilidade e criatividade pois a mídia escrita ainda é um dos veículos de comunicação e publicidade mais utilizados no Brasil e percebendo isso, um jornal (que realmente não é um jornal comum) deixou as querelas políticas de lado e investiu na objetividade/criatividade, ganhou o público e há 4 anos é um sucesso.

Confira abaixo parte da conversa de mais de uma hora que o Outra História teve com os editores (Arildo e Welington) do Lado B dia 15 de julho no Café & Cia junto ao shopping Vale das Cachoeiras.


Outra História perguta:

Como surge a idéia do jornal?
No período que trabalhei em um canal de sistema de circuito fechado de TV em Blumenau – SC, somado a vontade de ter o próprio negocio.

Quem são os editores do lado B.
Eu (Arildo), fico responsável pelo material a compor, defino o que vai e o que não vai ser publicado. E Wagner é o camarada que arruma todo esse material na edição. Já a idéia das capas e as legendas de imagens são feitas entre nos dois.

Por quê lado B?
O Nome Lado B é a idéia de um colega chamado Fábio Venhorst fotógrafo na cidade de Gaspar - SC, nasceu informalmente em uma conversa entre amigos.

Qual o objetivo (projeto) do jornal?
Diferente do que as pessoas pensam o Lado B, não pretende crescer dentro aumentando tiragem ou paginação! Até mesmo porque já é o veiculo impresso com maior tiragem da cidade. O projeto dele é de fazer com que o comercio de cidades vizinhas tenham a oportunidade de ter um veículo agressivo e barato para a publicação de seus anúncios. Portanto o objetivo é expandir para fora de União da Vitória e Porto União.

Que público se espera?
Esperamos atingir um publico consumidor, por ter uma linha editorial diferenciada. Além de ser um tablóide de humor, dica, passatempos, Lado B é um guia comercial para que as pessoas saibam aonde e o que encontrar no comercio local. Portanto nossa idéia é sempre focalizar as pessoas que tenham poder aquisitivo e que procurem ofertas de negócios.

Por que acha que o jornal deu certo?
Este veículo difere dos demais por tratar de informações, com os interesses comercial e publicitário voltados para empresas e consumidores em geral. Destacam-se atrativos comerciais competitivos, com aplicação de pequeno investimento por parte do anunciante e retorno garantido. Sua circulação quinzenal e estratégica atinge o maior número de leitores da região. Além do mais. Agilidade, seriedade e competitividade norteiam esse empreendimento que busca a realização de negócios consolidando as empresas em sua trajetória no mercado.


Que planos tem o jornal?
Buscar alternativas para crescer. Tem como objetivo atrair a atenção de consumidores voltados para um mercado em plena expansão. Aproveitando o potencial comercial e turístico da região, Lado B veio para incrementar o setor publicitário, com características peculiares que o diferenciam dos demais veículos de comunicação

Que papel tem o jornal da sociedade?
De Informar da maneira mais imparcial possível. Deixando de lado o ponto de vista de seus redatores.

Jornal é feito por quem?
Arildo de Lima – Diretor Geral
Wagner Borges – Designer Editorial
Welington Felipe Oanieski – Departamento Comercial

Qual o futuro da mídia escrita?
Discute-se (e muito) sobre o futuro de jornais e revistas (meios escritos de informação). Com a crescente popularização da grande rede mundial especula-se que os jornais e revistas podem deixar de serem impressos e as informações deles seriam vendidas pela Internet. Sinceramente não acredito nisso! A internet não veio para substituir veio sim para incrementar o setor de comunicação, As pessoas não se importam pelo método que a informação virá. Só não abrem mão dela. Portanto para saciar a sede de curiosidade das pessoas quanto mais veículos existirem, melhor. Se não for para saciar sua sede de curiosidades do que acontece ou deixa de acontecer. Os demais veículos serviram como uma válvula de escape do tédio. Você vai concordar comigo quando tiver que esperar no consultório médico, enquanto aguarda para ser atendido no banco, em uma viagem, ou até para passar as horas dentre um atendimento ou outro dentro de uma loja. Além do mais as pessoas não abrem mão de informação nem quando vão ao banheiro! Você leva o que para o banheiro? O computador?

Nenhum comentário:

Postar um comentário