Artigo da Semana - Ensino Superior

.
OS CURSOS SUPERIORES – seu papel na atualidade do vale do Iguaçu

Eloy Tonon
Professor Dr. do Departamento de História da FAFI

O papel fundamental de uma Universidade, Centro Universitário ou Faculdade é de formar cérebros e fomentar o juízo crítico. Portanto, a elas cabem a produção do conhecimento e a capacitação dos atores sociais. Nelas estão albergados os profissionais mais especializados para promover o avanço das ciências e da humanidade. Para a expansão e consolidação da educação superior é fundamental e indispensável levar em conta duas premissas: a primeira que utilizem à pesquisa como objetivo, abrindo horizontes para o desenvolvimento social através do avanço em áreas estratégicas; meio ambiente - processamento sustentável da madeira – agricultura – pecuária - indústria de móveis – papel - administração e outros segmentos. A segunda premissa, tão importante quanto à primeira abrange a educação - a formação de professores. Todo o conhecimento e pesquisa produzidos devem contribuir para equacionar problemas que a sociedade; empresas, agricultores, pecuaristas não sabem, às vezes não querem resolver.

O ensino superior é o maior patrimônio social. Ele não deve restringir-se unicamente a formar profissionais para atender as demandas do mercado, mas voltar a produzir o bem-estar da sociedade, promovendo a melhoria dos padrões de vida das comunidades em geral, em especial periféricas. Além, de deter a responsabilidade sobre a qualidade da aprendizagem para a herança cultural que será transmitida as gerações futuras. É competência das instituições universitárias criarem um amplo espaço interno de convivência das diferenças. Todas as regiões ou sociedades avançadas superaram os desafios através da educação superior produtiva e reconhecida. Remete, portanto, as instituições superiores a uma grande responsabilidade científica e social.

Lamentavelmente presenciamos no Brasil um processo crescente e até mesmo uma obsessão pela privatização do ensino superior e, consequentemente, a baixa de seu nível. Os dados estatísticos são inequívocos; enquanto o ensino superior privado detém 70% das matrículas de acesso produz apenas 10% da pesquisa. O ensino superior público com apenas 30% das matrículas de acesso, produz 90% da pesquisa científica nacional. A prática mercantilista do ensino superior brasileiro subverte a razão de ser.

Para o verdadeiro papel e sobrevivência de instituições universitárias de qualidade se faz necessário e urgente: democratizar o acesso, ampliando as vagas no ensino superior público. Trabalhar com a multiculturalidade. Capacitar profissionais para aprender e desaprender, transformá-los em auto-educáveis, tendo a capacidade de escolher e julgar.

Na região de Porto União e União da Vitória nas últimas décadas houve um aumento significativo de acesso ao ensino superior. A instituição pioneira é a FAFI tendo seus primeiros cursos implantados no ano de 1960. Atua e forma profissionais na área de educação. Graduou e especializou no Lato senso e Stricto senso um número significante de professores. Excetuando-se Física oferta todos os outros cursos de licenciatura. Na década de setenta do século passado surgiu a FACE, hoje UNIUV com cursos na área profissionalizante. Na década de noventa se instala em Porto União a UNC e ao final da década a UNIGUAÇU, ambas voltadas para cursos profissionalizantes.

Os benefícios gerados no aumento das vagas de acesso ao ensino superior, no vale do médio Iguaçu são significativos: a) a proximidade das instituições superiores, minimizando os custos de deslocamentos dos candidatos. b) a diversificação de ofertas de cursos, aumentado às opções das escolhas dos candidatos. c) a geração de emprego e renda para a região; aluguéis, alimentação, transportes, comércios em geral, ainda, geração de empregos, professores, funcionários, estagiários. d) prestação de serviços à comunidade em geral, através dos cursos de extensão universitária, nas seguintes áreas: direitos sociais, proteção do menor, meio ambiente, saúde, piscicultura, capacitação e outros tantos.

A região do médio Iguaçu é hoje um grande centro universitário. As regiões que se estruturaram, amparadas em uma diversidade de cursos ofertados no ensino superior, alavancaram o progresso econômico e social. Usando uma expressão popular com conotações ambientais e econômicas, Universidade, Centro Universitário e Faculdade são “fábricas sem chaminé” que geram pesquisa, empregos e bem estar social.

2 comentários:

Anônimo disse...

o VÉIO DETONO, A RTRANSFORMAÇÃO SOCIAL SO OCCORRERA COM UMA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE. CÉLIO TEM DE SER O PDT NO PODER

Célio Roberto Pereira disse...

Ahahahaha! Assim você me compromete, qualquer dia vão fazer um bolão pra ver em qual partido eu vou me filiar...

Postar um comentário