Discurso e desmatamento


A Operação Angustifolia (nome científico do pinheiro araucária) que o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) vem realizando na nossa região desde o final do mês de maio deu o que falar, além de mexer no bolso dos madeireiros aplicando mais de R$4 milhões em multas, mexeu com o ego de muita gente, o que se lia na imprensa é que a Polícia Federal tratou empresários como bandidos, pois bem, vamos aos fatos.

De toda a cobertura da floresta araucária no Paraná, hoje só existe 0,8% e apesar dela ter sido incluída na lista de espécies ameaçadas de extinção desde 1992, ainda continua sendo explorada comercialmente, isso ninguém lembrou nas inúmeras manifestações que li nos jornais de apoio aos madeireiros, perdeu-se o foco da notícia, empresas exploram a região, a maioria a mais de meio século e o que vem sendo feito para diversificar o potencial econômico das cidades gêmeas? O que se ouve muito por aí é que nossa região é extrativista e por isso justifica-se o alto nível de desmatamento, parece que nunca ouviram falar em desenvolvimento sustentável.

Fiquei muito feliz ao abrir a página do Ministério do Meio Ambiente e constatar que União da Vitória faz parte da Agenda 21 Local (cadê Porto União?), no entanto ainda não vi as ações práticas desse engajamento, cadê a mobilização popular? Onde estão os programas de parceria entre Município e empresas para desenvolvimento da região, nunca vi, nem ouvi ao menos debates.

A discussão fica centrada na ação da Polícia Federal. Foi truculenta? Eu não acho! Se fosse os funcionários dessas madereiras que tivessem sido presos por desacato a autoridade não haveria nenhum manifesto da imprensa escrita nem passeata de seus colegas interditando rodovias.

Há muito discurso falando em pessoas dignas, não em bandidos. Quem desmata há décadas sem a preocupação de preservar a fonte do próprio lucro é o que? Quem paga um salário de fome para os funcionários enquanto reside em mansões e anda em carros de luxo é um homem digno? Quem utiliza a imprensa e a população como massa de manobra contra as ações de preservação federais é o que?

Antes de escrever e falar um monte de abobrinhas por aí o indivíduo deve se informar, ler, interpretar as informações e depois se expressar, a opinião, o achismo de puxa-sacos e covardes não conta, é preciso mais responsabilidade no discurso, se o medo que a cidade venha a ter um colapso econômico devido ao fechamento de algumas empresas, não defendam o que está errado, apresentem soluções, e no mais, duvido que outras empresas não estão interessadas em se instalar aqui se isso viesse a ocorrer.

Leia mais sobre isso aqui:

http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2009/06/01/materia.2009-06-01.8020570696/view
http://www.mma.gov.br/sitio/index.php?ido=conteudo.monta&idEstrutura=18
http://ipevs.org.br/blog/?tag=araucaria
http://www.apremavi.org.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário